Dica de leitura: Menina bonita do laço de fita

Menina Bonita do Laço de Fita
Era uma vez uma menina linda, linda.
Os olhos pareciam duas azeitonas pretas brilhantes, os cabelos enroladinhos e bem negros.
A pele era escura e lustrosa, que nem o pelo da pantera negra na chuva.
Ainda por cima, a mãe gostava de fazer trancinhas no cabelo dela e enfeitar com laços de fita coloridas. Ela ficava parecendo uma princesa das terras da África, ou uma fada do Reino do Luar.
E, havia um coelho bem branquinho, com olhos vermelhos e focinho nervoso sempre tremelicando.
O coelho achava a menina a pessoa mais linda que ele tinha visto na vida.
E pensava:
– Ah, quando eu casar quero ter uma filha pretinha e linda que nem ela…
Por isso, um dia ele foi até a casa da menina e perguntou:
– Menina bonita do laço de fita, qual é o teu segredo para ser tão pretinha?
A menina não sabia, mas inventou:
– Ah deve ser porque eu caí na tinta preta quando era pequenina…
O coelho saiu dali, procurou uma lata de tinta preta e tomou banho nela. Ficou bem negro, todo contente. Mas aí veio uma chuva e lavou todo aquele pretume, ele ficou branco outra vez.
Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez:
– Menina bonita do laço de fita, qual é o seu segredo para ser tão pretinha?
A menina não sabia, mas inventou:
– Ah, deve ser porque eu tomei muito café quando era pequenina.
O coelho saiu dali e tomou tanto café que perdeu o sono e passou a noite toda fazendo xixi. Mas não ficou nada preto.
– Menina bonita do laço de fita, qual o teu segredo para ser tão pretinha?
A menina não sabia, mas inventou:
– Ah, deve ser porque eu comi muita jabuticaba quando era pequenina.
O coelho saiu dali e se empanturrou de jabuticaba até ficar pesadão, sem conseguir sair do lugar. O máximo que conseguiu foi fazer muito cocozinho preto e redondo feito jabuticaba. Mas não ficou nada preto.
Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez:
– Menina bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha?
A menina não sabia e… Já ia inventando outra coisa, uma história de feijoada, quando a mãe dela que era uma mulata linda e risonha, resolveu se meter e disse:
– Artes de uma avó preta que ela tinha…
Aí o coelho, que era bobinho, mas nem tanto, viu que a mãe da menina devia estar mesmo dizendo a verdade, porque a gente se parece sempre é com os pais, os tios, os avós e até com os parentes tortos.
E se ele queria ter uma filha pretinha e linda que nem a menina, tinha era que procurar uma coelha preta para casar.
Não precisou procurar muito. Logo encontrou uma coelhinha escura como a noite, que achava aquele coelho branco uma graça.
Foram namorando, casando e tiveram uma ninhada de filhotes, que coelho quando desanda a ter filhote não para mais! Tinha coelhos de todas as cores: branco, branco malhado de preto, preto malhado de branco e até uma coelha bem pretinha. Já se sabe, afilhada da tal menina bonita que morava na casa ao lado.
E quando a coelhinha saía de laço colorido no pescoço sempre encontrava alguém que perguntava:
– Coelha bonita do laço de fita, qual é o teu segredo para ser tão pretinha?
E ela respondia:
– Conselhos da mãe da minha madrinha…

Livro de Ana Maria Machado

 

Oii mamães, tudo bem?

A literatura infantil contribui bastante para a formação de nossas crianças. Primeiro, quanto mais cedo elas são apresentadas aos livros, mais fácil é que elas adquiram o gosto e o hábito de ler. Segundo, ajuda a elas conhecerem e entenderem situações que não façam parte de seu dia a dia.

Hoje separei para vocês um livro que é rápido de ler e a leitura é bem gostosinha: menina bonita do laço de fita.

O livro, publicado em 1986, pela autora Ana Maria Machado é um clássico infantil que traz uma menina negra como a personagem principal. Além dela, temos um coelho branco que fica encantado pela beleza e doçura da menina bonita do laço de fita e decide que quer ser como ela.

Com um ar de fábula, vamos nos prendendo nas peripécias do coelho para tentar se tornar um coelho pretinho.

A autora nos vai apresentando uma história que ainda hoje busca quebrar vários estereótipos, como o da beleza, e preconceito.

Daí a importância de se apresentar essa história não só para as crianças negras, para que elas sintam que podem crescer se amando, como para as crianças que o são, assim ajudamos a criar uma sociedade mais empática e igualitária.

 Além do livro, separamos duas outras formas de apresentar a história para sua criança: através de um curta metragem e de uma contação de histórias.

Curta metragem Menina Bonita do laço de Fita

 

Contação de história do canal Fafá conta história

 

Outros títulos semelhantes:

 Livro cada um do seu jeito, cada jeito de um

Cada um com seu jeito, cada jeito é de  um! de Lucimar Rosa Dias (Editora Alvorada)

O livro infantil conta a história de Luanda, uma menina negra brincalhona e vaidosa, que adora o seu cabelo crespo onde envolve todos da família nos diversos penteados que inventa. Foi seu pai quem escolheu esse nome para ela por acreditar que ela seria tão linda quanto a cidade africana que ele conheceu quando era jovem. A leitura promove o reconhecimento e a valorização das diferenças.

 

livro amoras

Amoras, de Emicida (Companhia das Letrinhas)

Na música “Amoras”, Emicida canta: “Que a doçura das frutinhas sabor acalanto/ Fez a criança sozinha alcançar a conclusão/ Papai que bom, porque eu sou pretinha também”. E é a partir desse rap que um dos artistas brasileiros mais influentes da atualidade cria seu primeiro livro infantil e mostra, através de seu texto e das ilustrações de Aldo Fabrini, a importância de nos reconhecermos no mundo e nos orgulharmos de quem somos — desde criança e para sempre.

E aí, já conheciam o livro? 

Antes de ir, não deixe de passar no site da Lulinharte e conhecer as versões da meninas bonitas do laço de fita :)

 _____________
Leatrice Barros é professora, estudante de Letras e blogueira no @leeler_blog

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados